Quem salva é só Jesus
Histórico

Histórico da Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá

Antes de relatar o Histórico da Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá, é dever esclarecer a sua origem. Ela nasceu de colonizadores evangélicos alemães luteranos que aqui chegaram em 1868 para construir uma família cristã que procurava ser fiel ao Senhor.

Em 1868, com a devida autorização de D. João VI, se estabeleceu no fertilíssimo Alto Jequitibá, a primeira família de protestantes – Guilherme Eller, seu filho Pedro e demais familiares. Guilherme Eller, sua esposa Carlota e o 1º filho, começaram a pregar o evangelho com o companheiro Cristiano Cesar, também imigrante alemão luterano. A fertilidade da terra atraiu outros emigrantes alemães: Famílias Faria, Emmerich, Gripp, Verly, Heringer, Sattler, Cesar, Dias, Loubach, Breder, Spamer, Schwab, Storck, Caterink, Kleim e outros.

Vinte e oito anos após a chegada de Guilherme Eller e sua família, juntamente com Cristiano Cesar, procurando manter a fé dos familiares e patrícios, procuraram uma solução, trazendo um pastor para agrupar as ovelhas que se dispersavam. Conseguiram um pastor batista por não conseguirem um pastor luterano. Assim chegou a Alto Jequitibá em julho de 1896, o pastor alemão Salomão Luiz Ginsburg. Muitos tiveram oportunidade de ouvir a mensagem santa da fé pela primeira vez, através da voz de um ministro protestante. O pastor era homem culto, autor de hinos bonitos, alguns deles transcritos em nosso Hinário Presbiteriano. Por gostar de cânticos houve um grande afluxo de interessados nas suas pregações. Entretanto, a forma de batismo não satisfez a população de origem luterana. O pastor batista ficou até dezembro de 1896.

Em janeiro de 1897, Francisco Eller foi a Nova Friburgo onde conheceu o missionário e médico Dr. John Merry Kyle que prometeu vir a Alto Jequitibá. Tudo acertado, o missionário chegou em Alto Jequitibá em julho de 1897. Dr. John Merry Kyle, americano e presbiteriano, ficou em Alto Jequitibá até 1900. Ele prometeu procurar um pastor entre os novos formados no Seminário de Campinas.

É oportuno lembrar que o 1º Templo da nossa Igreja foi inaugurado no dia 15 de outubro de 1987, construído pelo Sr. Henrique Eller. Era simples, com parede de pau a pique, esteios de madeira e coberto de taboinhas de cedro. O assoalho era de tábuas de jequitibá e sem forro. Os bancos não tinham encosto. Era denominado “Casa de Oração”.

Licenciado em 30 de junho de 1901, Mattathias Gomes dos Santos chegou a Alto Jequitibá no dia 04 de julho de 1901. Foi ordenado como pastor em 24 de janeiro de 1902. O jovem pastor conquistou a admiração e a confiança de todos. Antes de ser ordenado, o licenciado realizou um trabalho intenso e não se limitou a Alto Jequitibá. Acompanhado de alguns irmãos jovens como Felipe Eller e João Leandro de Faria, montava a cavalo e visitava a todos os irmãos, orando com eles e anunciando a Palavra. Compareceu à reunião do Presbitério do Rio de Janeiro para ser ordenado em 24 de janeiro de 1902. Mediante a apresentação do seu relatório os membros do Presbitério nomearam uma Comissão para organizar a Congregação de Alto Jequitibá, em Igreja. No final da reunião, o Rev. Matthathias vai à estação Barão de Mauá, onde toma o trem de volta à Carangola e de lá para Alto Jequitibá. Chegando relata a sua ordenação ao sagrado ministério e a liberação do Presbitério para organizar a Congregação em Igreja. Explicou as exigências para a organização como Igreja: Eleição de Presbíteros e Diáconos. Fez muitas visitas e convocou o povo para a Assembléia destinada a organização da Igreja. Foram recebidas várias pessoas para profissão de fé e batismo e batismos de crianças. A data marcada para a organização da Igreja foi 09 de março de 1902. Aquele domingo não foi um qualquer. Muitos vieram de longe. Foi um dia de festa espiritual, e de muita gratidão a Deus. O Rev. Álvaro Reis veio do Rio de Janeiro e fez tudo conforme as prescrições do Livro de Ordem. Após o Culto houve a eleição dos presbíteros Antônio Pedro de Carvalho e Cristiano Cesar. Diáconos eleitos: João Leandro de Faria, Manoel Jorge Eller e Aniceto Ferreira Gomes. Eis que nasce uma Igreja com 105 membros e 200 menores.

O Rev. Mattathias permaneceu em Alto Jequitibá até junho de 1905. Enquanto aqui esteve percorreu as regiões de Jacutinga, Carangola, Santa Margarida, Manhumirim, Manhuaçu, Alegre (ES), Iúna (ES), Lajinha, Barra de Jequitibá, Caparaó, Espera Feliz, Fazenda Breder, Córrego da Onça, Córrego Braço do Rio, Muniz Freire (Córrego Rio Norte).

A partir de 14 de junho de 1905, assumiu o pastorado o Rev. Franklin do Nascimento que aqui permaneceu apenas um ano, porém foi de prosperidade e dedicação.

No dia 24 de outubro de 1906, assumiu o pastorado o Rev. Manuel Alves de Brito. Seu trabalho foi de intensas realizações e viagens pelo vasto campo, dando uma excelente assistência espiritual ao povo.

No início de agosto de 1908, o Presbitério do Rio de Janeiro designou para pastor da Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá, o Rev. Anibal dos Santos Nora que veio nos primeiros dias de setembro de 1908. O templo era um velho barracão que não comportava a comunidade. Nos primeiros quinze dias o Rev. Anibal Nora visitou e providenciou medidas mais urgentes e fez uma visita completa a todo o campo em um total de 45 dias. Recebeu por profissão de fé e batismo mais de 100 pessoas, entre maiores e menores. No dia 18 de novembro de 1908 viajou para o Rio de Janeiro e no dia 21 de novembro de 1908, casou-se com Constância Lemos. Ele e a esposa chegaram a Alto Jequitibá no dia 03 de dezembro de 1908. O trabalho do Rev. Anibal foi intenso. O seu patriotismo levou a Comunidade Evangélica a tomar conhecimento da maior data cívica do Brasil, 07 de setembro, que devia ser comemorado com alegria e gratidão a Deus. Organizou junto com as Sociedades Internas algumas mesinhas com doces e salgados para, em torno delas, se reunir e tomar conhecimento do significado desta data – a liberdade que incluía a liberdade religiosa. Assim a 1ª Festa de Setembro se deu no dia 07 de setembro de 1909.

O 2º Templo era uma necessidade urgente. Foi construído para abrigar 700 ouvintes. Era um belo Templo inaugurado em 08 de outubro de 1911. Foi erigido onde se encontra hoje o Edifício de Educação Religiosa. As palmeiras imperiais que ali se encontram foram plantadas pelo Rev. Anibal Nora e sua esposa D. Constância.

Rev. Aníbal sempre gostou de música. Ele organizou a Banda de Música Evangélica em 1916. Considerando o grande número de crianças da Igreja em idade escolar e que havia apenas uma Escola Municipal bastante precária, o Rev. Anibal Nora, juntamente com D. Constância resolveram em 1917 abrir uma Escola Primária. Esta escolinha foi o germe do Ginásio Evangélico, organizado em 05 de março de 1923 e reconhecido pelo Governo em 1926. O Rev. Anibal ficou em Alto Jequitibá até dezembro de 1927. Foi seu pastor auxiliar: Rev. Mário Neves. Rev. Aníbal, atendendo um convite da Igreja de Florianópolis, Santa Catarina, para lá se transferiu, deixando muito trabalho realizado e saudades.

A Igreja se reuniu em sessão extraordinária, em 12 de dezembro de 1927, com a presença do Rev. Anibal Nora, quando foi eleito o Pastor Júlio Camargo para pastorear a Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá.

Rev. Júlio Camargo chegou a Alto Jequitibá no dia 02 de março de 1928. Ele realizou diversos atos pastorais na Sede e em todo campo da Igreja. Em 22 de fevereiro de 1929 o Pastor Júlio Camargo foi para o Rio de Janeiro, atendendo um convite para ser professor da Cadeira de Filosofia do Seminário Unido do Rio. Em conseqüência o Pastor Júlio se despediu em 13 de março de 1929.

Em nova Assembléia Geral Extraordinária da Igreja, realizada no dia 27 de abril de 1929 para eleição de um novo pastor, foi eleito o Pastor Rev. Cícero Siqueira. No dia 09 de agosto de 1929 chegou o Rev. Cícero, sua valiosa esposa Professora Cecília Rodrigues Siqueira e seus oito filhos. Rev. Cícero foi pastor até 19 de fevereiro de 1963, quase 34 anos. Foram seus pastores auxiliares: Rev. Jorge Buarque Lyra, Rev. Adiron Justiniano Ribeiro Sobrinho, Rev. Antonio Souza Lima, Rev. Donato Demétrio Soares, Rev. José Ferreira de Melo Júnior, Rev. Azael Sathler, Rev. Ademar de Oliveira Godoy e Rev. Antonio Dias Maciel.

Eventos na gestão do Rev. Cícero Siqueira: 1930: Dia 19/09/1930: Organização da Confederação de SAF do PLMN; 1937: Fundação do Coral da Congregação de Jacutinga e da Congregação de Tavares; 1ª Escola Bíblica de Férias; 1943: Reunião da União Cristã de Estudantes do Brasil; 1950: Reunião do Supremo Concílio em 20 de julho de 1950; 1952: Em 09 de março de 1952, comemoração do Cinquentenário da Igreja com uma programação especial. Estatística: 1234 membros maiores e 1251 menores. Em 22 de junho de 1952: Campanha de avivamento pelo avivalista Edwin Orr, irlandês, presbiteriano. Veio acompanhado da interprete Srta. Silvia Magalhães Lima. Vieram caravanas de vários lugares. Mais de 200 pessoas se entregaram a Cristo; 1953: em 22 de março de 1953 foi organizada a 2ª Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá, em Jacutinga; 1957: em 20 de julho de 1957, inauguração do 3º templo da Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá com a presença de 3.000 pessoas e um programa muito bem elaborado. Esteve presente o então Presidente do Supremo Concílio, Rev. José Borges dos Santos Júnior. Esta construção foi realizada em menos de 3 anos e custou na época, a quantia de Cr$ 3.200.000,00 (Três milhões e duzentos mil cruzeiros); 1959: Em janeiro a Igreja hospedou o Congresso da Mocidade Unida Presbiteriana e Presbitério Independente. Em 09 de abril de 1959, foi criado pelo Supremo Concílio o Seminário Presbiteriano do Centenário. A Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá foi escolhida para ser o berço deste Seminário. Em 1961 o Seminário foi transferido para Vitória, ES; 1960: Foi criada a 2ª SAF, antiga Sociedade de Moças, que recebeu o nome de SAF “Cecília Rodrigues Siqueira”; em 11 de abril de 1960, foi criada a Escola Dominical de Vargem Grande. Hoje:

Congregação de Vargem Grande; 1962: Em 17 de setembro de 1962, foi criado o Ponto de Pregação de São Luiz, hoje: Congregação de São Luiz. Foi criada a Escola Normal anexa ao Colégio Evangélico, cujas atividades se iniciaram no ano letivo de 1963.

Em 19 de fevereiro de 1963 Deus convocou o seu servo para Si. faleceu com 68 anos e seis meses. Rev. Cícero Siqueira acumulava o cargo de Diretor do Colégio Evangélico desde que aqui chegou em 1930 o Colégio estava prestes a ser fechado na crise da “Grande Depressão”.

A Comissão Executiva do PLMN assumiu o pastorado da Igreja e designou o Rev. Orlando Sathler para exercer o pastorado em 09 de março de 1963. Rev. Orlando, pastor dinâmico, de pregação eloquente, com o apoio do Conselho e da Igreja desenvolveu um abençoado ministério até dezembro de 1963.

A convite do Conselho, o Rev. Samuel Brust assumiu o pastorado da Igreja em 1964 e desenvolveu seu ministério com muito dinamismo e simpatia. Incentivou a criação de grupos musicais. Permaneceu até o final de 1965.

Por designação do PLMN assumiu o pastorado da Igreja, em 1966, o Pastor Rev. Antonio Ferreira Campos, homem humilde, conciliador e de intensa consagração ao serviço do Mestre. Esse pastorado se estendeu até 1968.

No dia 06 de outubro de 1968, a Assembléia Geral da Igreja elegeu o Rev. Wilson de Souza Lopes para pastor efetivo. Homem culto, de visão larga. Exerceu o pastorado até o ano de 1981 – 13 anos.

Eventos na gestão do Rev. Wilson de Souza Lopes: 1973: 1) construiu a nova casa pastoral; Reformou a Praça de Esportes; Reabriu o Internato Feminino na antiga casa pastoral; Construiu e inaugurou o Centro Social “Rev. Cícero Siqueira” em 06 de setembro de 1975. Pastores auxiliares: 1971: Rev. Josias Rosa; 1972 a 1978: Rev. Cary Loubach Tavares; 1979: Prof. Walter Zavatário e Rev. Sergio Pereira Tavares; 1980: Rev. Walter Zavatário.

Em maio, dia 24 de 1981 o Conselho reunido recebeu o Rev. Nelson Duilio Bordine Marino que vindo de São Paulo, assume o pastorado da Igreja. Rev. Nelson pastoreou o restante do ano de 1981 e 1982. Deixou marcas de um bom ministério, especialmente quanto às visitas aos lares e pregações. Sua esposa, Dona Carmem, musicista fundou o Coral Infantil da Igreja.

Em 1983, o Pastor Rev. Eber Magalhães Lenz Cesar, a convite do Conselho da Igreja, tendo vindo de Recife, Pernambuco, aceitou o pastorado da Igreja. Seu ministério foi muito abençoado com mensagens profundas e sábias. Na área de aconselhamento pessoal muito contribuiu para o despertamento de muitos. Na área da música, a Igreja ganhou muito com a confecção da “Pasta de Canticos”, tendo sua esposa, Márcia Sathler Lenz Cesar, musicista, muito colaboradora na execução do órgão e na direção dos cânticos Congregacionais.

Em 1984, assumiu o pastorado da Igreja o jovem e dinâmico pastor Rev. Anderson Sathler. Assumiu o pastorado com “temor e tremor”, com o auxilio de Deus. O Conselho da Igreja foi até Lajinha, MG, convidá-lo para o pastorado de nossa Igreja. Jovem, de uma eloquência ímpar, simpático, logo se enquadrou perfeitamente na Igreja. Suas mensagens inspirativas muito contribuíram para o sustento espiritual dos fiéis.

Eventos: 1) Construiu a Quadra Poli-esportiva na área do Centro Social; 2) orientou uma construção nos fundos do Templo da Igreja, de sanitários feminino e masculino; três amplas salas para o Coral da Igreja, o Coral Infantil e Almoxarifado; 3) Coordenou o trabalho de construção de amplo e funcional estacionamento para veículos; 4) Reativou o funcionamento do alto-falante da Igreja; 5) Foi criada a Secretaria da Igreja, sendo contratada uma secretária. Adquiriu uma máquina fotocopiadora; 6) Em 1987 promoveu um desfile do Dia da Bíblia; 7) Em 1988 inaugurou o monumento à Bíblia na Praça Rev. Anibal Nora; 8) No dia 18 de fevereiro de 1990 foi organizada a 3ª Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá, no Córrego de Tavares; No 2º domingo de dezembro de 1990, promoveu a inauguração do Museu da Igreja, instalado no Centro Social. Em abril de 1991 veio cooperar com o Rev. Anderson o Rev. Carlos de Oliveira Orlandi Júnior. Rev. Anderson foi Pastor da Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá durante 10 anos, até 1993.

Em 1994 foi Pastor o Rev. Jader Sathler da Silva – Muito simpático e comunicativo. Zelou muito pela vida espiritual e pela disciplina dos membros da Igreja. Incentivava o cântico dos hinos mais antigos e tradicionais. Prestigiava muito o Coral da Igreja.

Anos de 1995 e 1996 – Exerceu o pastorado o pastor Rev. Carlos Ribeiro Caldas Filho – Jovem e amável. Sermões edificantes com muito conhecimento bíblico. Erudito e esmerado. Foi criada a Missão Cataguazes. Pastor auxiliar: Rev. Dionei Faria.

Ano de 1997 – Rev. André Luciano Boechat Melo – Jovem, desportivo. Despertou grupos musicais. Pastor auxiliar: Rev. Dionei Faria.

Anos de 1998 a 2004Pastor Rev. Paulo Martins Silva – Pastor espiritual, humilde, eficiente, determinado. Mensagens vivificantes e avigoradas. Foi seu auxiliar: anos de 1999 a 2004: Pastor Alcyon Vicente Pinto da Costa.

Anos de 2005 a 2007Rev. Carlos Rodrigues Alves Neto – Pastor jovem, alegre, simpático. Adoeceu e se licenciou. Ministério Interrompido.

Em 2008 o Pastor Rev. Paulo Martins Silva aceitou o convite do Conselho e retornou para a alegria da Igreja. Nesse ano, foi seu auxiliar o Rev. Julio Alexandre Werner Frossard.

Em Setembro de 2009 comemorou-se o centenário de comemorações civico-religiosas com programação especial.

Em janeiro de 2011, o Rev. Flávio Gomes da Silva Júnior aceitou o convite feito pelo Conselho da IPAJ para auxiliar o Rev. Paulo Martins Silva no trabalho pastoral da Igreja. Alegre, humilde e preletor de mensagens edificantes, deixou a Igreja em Dezembro de 2014 após receber um convite da 4ª Igreja Presbiteriana de Alto Jequitibá.

Com a saída do Pastor Flávio, em Janeiro de 2015, após convite do Conselho da IPAJ, chega à Igreja o novo Pastor Auxiliar: Rev. Adenilson da Silva.

Voltar